Inverno e nutrição

Artigos

Durante o inverno, devido às temperaturas mais baixas o organismo tende ao aumento do gasto energético para manutenção das funções corporais. O alimento é fator prioritário para que haja a homeostase do organismo e o aumento da fome e apetite são as respostas fisiológicas da sazonalidade.

O ideal que em períodos de temperaturas mais baixas haja uma correta nutrição para prevenção de doenças respiratórias. A alimentação desempenha papel primordial na imunidade, pois as reações do sistema de defesa necessitam de energia e vários nutrientes para a formação de células e substâncias envolvidas no nosso sistema imunológico.

É importante suprir as demandas energéticas evitando alimentos altamente calóricos, ricos em gorduras e carboidratos simples. Devem-se escolher alimentos que forneçam energia, sem prejudicar o organismo (a ponto de gerar aumento de tecido gorduroso), tais como sopas e cremes de legumes, carnes magras, carboidratos complexos, etc.

Para o aumento da imunidade deve-se manter uma dieta equilibrada em carboidratos complexos e gorduras boas (azeite, castanhas, etc.). Rica em probióticos (suplementos alimentares à base de microrganismos vivos, que afetam beneficamente a saúde humana, promovendo o balanço de sua microbiota intestinal), ômega 3 (presente em peixes gordurosos e linhaça) e sem dúvida evitar cardápios extremamente restritivos.

Alimentos que não podem faltar são os carboidratos (energia e imunidade); peixes ricos em ômega 3 (ação antinflamatória); frutas, verduras e legumes (ricos em substâncias bioativas necessárias para o bom funcionamento do sistema imunológico). A hidratação tem papel fundamental para manutenção e regulação da temperatura corporal, para o equilíbrio da flora intestinal e funções digestivas, importante como transportadora de inúmeras vitaminas hidrossolúveis, dentre outras funções.

As sopas, caldos, cremes são fundamentais no inverno. Além de aquecerem e hidratarem, são fáceis, práticas de serem preparadas e ainda compõem uma refeição rica em vitaminas minerais e principalmente macronutrientes (proteínas, gorduras e carboidratos).

Nos intervalos entre as refeições, os lanches surgem como uma alternativa a suprimir o apetite e fome de inverno. Devem contemplar quantidades significantes de proteínas e fibras pois possuem a característica de lentificar o transito gastrointestinal gerando saciedade por mais tempo minimizando a fome.

O inverno é convidativo a reuniões em volta do alimento. A vontade e desejo estão mais presentes e tornam-se difíceis de serem controlados, por isso o bom senso e o equilíbrio costumam serem os melhores companheiros nas ocasiões sociais.

Receita:

Sopa de abóbora com gengibre

  • 600g de abóbora madura
  • 1+½ L de água (OU ½ L de leite desnatado + 1 L de água)
  • 1 cebola pequena picada em cubos
  • 1 colher de sopa de requeijão light
  • 1 pedaço pequeno de gengibre fresco
  • Pitada de sal

Descasque a abóbora e cozinhe em água (1+½ OU 1L) com a cebola picada em pedaços médios. Após cozida acrescente o sal, leite desnatado, requeijão light e gengibre.
Retire do fogo e bata tudo no liquidificador.

Para o aumento do aporte proteico, coloque peito de frango ou músculo desfiado.

Fonte: Leandra Giorgetti, nutricionista mestre pela Unicamp e especialista em Nutrição Esportiva

Publicado em 27 abril de 2018